Regulamento do Desafio Nacional de Máxima Produtividade – Safra 2018/2019

REGULAMENTO COMPLETO DO

DESAFIO NACIONAL DE MÁXIMA PRODUTIVIDADE

SAFRA 2018/2019

 

  1. O Desafio Nacional:

1.1 A demanda global por soja é alta e deverá ficar maior ainda nas próximas safras. Entretanto, cada vez mais os consumidores tornam-se exigentes quanto às condições em que a soja é produzida, exigindo que o sistema de produção seja sustentável. Também questionam a expansão ilimitada da área cultivada, pressionando para que cada vez mais a soja seja produzida com alta produtividade, sempre de forma sustentável, evitando o desmatamento. Tudo indica que o Brasil tem chances de se tornar o maior produtor mundial nesta safra, e para garantir a continuidade da liderança brasileira no mercado internacional de soja, é importante que o produtor atente para estas exigências. O CESB está ao seu lado para auxiliá-lo nesta tarefa.

1.2 O Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja tem como objetivo criar um ambiente nacional e regional que estimule os sojicultores e os consultores técnicos a desafiar seus conhecimentos e incentivar o desenvolvimento de práticas de cultivo inovadoras, que possibilitem extrair o potencial máximo da cultura, com sustentabilidade e rentabilidade. Além disso, a área teste destinada ao Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja, será uma poderosa ferramenta de aumento de produtividade. Todo o aprendizado ali adquirido poderá ser transferido para as lavouras comerciais, se comprovada a sua viabilidade, sustentabilidade e rentabilidade. É uma fonte de inspiração para o meio produtivo da soja.

1.3 As informações, tecnologias e resultados gerados neste Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja, serão compartilhados entre os participantes do Desafio e dos demais produtores, através de publicações do CESB, no site http://www.cesbrasil.org.br e em eventos organizados com o objetivo de compartilhamento da informação como simpósios, congressos, reuniões, feiras agrícolas, materiais de comunicação, entre outros.

 

  1. Qualificação do participante:

2.1 Os participantes do Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja, deverão cultivar e/ou prestar consultoria técnica na cultura da soja, em qualquer localidade do território brasileiro. O participante deverá ter 18 anos ou mais na ocasião da inscrição.

2.2 Serão considerados participantes oficiais do Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja, os sojicultores e consultores técnicos (pessoa física ou jurídica) que concordarem integralmente com as regras aqui descritas.

2.3 Cada participante poderá inscrever até 3 (três) áreas em propriedades diferentes, ou em talhões distintos na mesma propriedade, mas cada área deverá apresentar sua ficha de inscrição própria e pagar uma taxa por inscrição independente.

2.4 Cada área contará obrigatoriamente com a participação de 1 (um) produtor e 1 (um) consultor técnico, não podendo esta ser a mesma pessoa, porém, devidamente identificados na ficha de inscrição. O consultor técnico é de livre escolha do produtor.

2.5 Os participantes poderão cultivar soja em áreas próprias ou arrendadas.

2.6 As áreas não poderão estar localizadas em APPs (Áreas de Preservação Permanentes) e deverão estar com as obrigações fiscais regularizadas.

2.7 Caso sejam usadas sementes salvas na área do desafio, é obrigatório a apresentação dos documentos validados pelo MAPA referente a área de semente salva.

2.8 É permitido somente o uso de defensivos que foram adquiridos regularmente com nota fiscal. O CESB se reserva o direito de obter uma cópia das notas fiscais dos defensivos agrícolas utilizados.

2.9 Os participantes deverão obedecer à legislação trabalhista e/ou contratos coletivos de trabalho firmados pelos sindicatos de sua região.

 

  1. Categorias do Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja:

São divididas entre:

  1. a) Área irrigada
    b) Área não irrigada
  2. a) Categoria Área Irrigada

O CESB premiará o produtor e seu respectivo consultor técnico que obtiver a melhor produtividade entre os participantes dessa categoria no Brasil.

  1. b) Categoria Área Não Irrigada

Essa categoria será subdividida em 4 (quatro) regiões geográficas:

Região Sul – Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Região Sudeste – Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Região Centro Oeste – Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, e Distrito Federal.

Região Norte/Nordeste – Sendo: NO – Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. E NE – Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.

O CESB reconhecerá o melhor resultado nacional e de cada região do Desafio, sendo: produtores e consultores técnicos, totalizando 10 (dez) reconhecimentos pela ótima performance no Desafio.

O Produtor e Consultor Técnico da Área que tiver a maior produtividade, independentemente da categoria, serão considerados “Campeões Nacionais”.

3.1 Os participantes da mesma categoria competem entre si e não serão comparáveis entre as distintas categorias. Os participantes poderão competir nas duas categorias, desde que as inscrições sejam independentes. Não será permitida a mudança de categoria após o aceite da inscrição.

 

  1. Regras do Desafio Nacional Máxima Produtividade de Soja

4.1 A área que será inscrita no Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja deverá cumprir os seguintes requisitos:

4.1.1 Ter no mínimo 5 (cinco) hectares e no máximo 10 (dez) hectares;

4.1.2 O talhão ou gleba deverá ser um bloco continuo e não poderá excluir dentro deste bloco áreas de rota de maquinários (a exemplo rotas de pulverizador); curva de nível, áreas de dreno, linha do pivô de irrigação e soja amassada;

4.1.3 Utilizar um único cultivar e sistema de produção dentro de cada talhão ou gleba que será inscrito e

4.1.4 Para efeito de comprovação da produtividade, deverão ser colhidos no mínimo, 2,5 (dois e meio) hectares, em um bloco contínuo (melhor descrito no item 4.1.2)

4.2 A propriedade onde terá a área inscrita no Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja deverá cumprir a Legislação Trabalhista e seguir as Boas Práticas Agrícolas tais como:

4.2.1 Não utilizar áreas de preservação permanente (APP´s);

4.2.2 Não utilizar mão de obra escrava ou infantil (crianças e adolescentes);

4.2.3 Utilizar técnicas conservacionistas do solo (plantio direto, terraceamento, rotação de culturas, etc) adequadas ás condições de clima e solo. Sempre objetivando a sustentabilidade e responsabilidade sócio ambiental;

4.2.4 Usar sementes de origem comprovada, seguindo a legislação vigente;

4.2.5 Usar produtos registrados para a cultura, legalizados e sempre com receituário agronômico;

4.2.6 Promover o uso responsável de agroquímico através de boas práticas agrícolas no campo. Respeitando as recomendações da Associação Nacional de Defesa Vegetal (ANDEF), Comitê de Boas Práticas Agrícolas (COGAP), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR), Comitê Brasileiro de Resistência de Plantas aos Herbicidas (CBRPH) e Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC-BR). A exemplo, fica vedado a utilização de mais de duas aplicações de Carboxamidas na cultura da soja em áreas inscritas no desafio. O não cumprimento destas práticas, incorrera na desclassificação da área;

4.2.7 Armazenar os insumos agrí­colas em local adequado (sem riscos ao homem e ao ambiente);

4.2.8 Assegurar o uso de EPIs pelos trabalhadores envolvidos na aplicação de defensivos agrícolas;

4.2.9 Não abastecer pulverizadores com água diretamente em mananciais;

4.2.10 Não lavar equipamentos e nem descartar resíduos de pulverizadores próximos a fontes de água ou em locais que ofereçam riscos ao homem e ao ambiente;

4.2.11 Proceder ao descarte adequado de embalagens vazias de defensivos agrícolas (tríplice lavagem e devolução em locais credenciados, segundo normas vigentes).

 

  1. Inscrição:

5.1 A inscrição para o Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja deverá ser feita exclusivamente via site do CESB (http://www.cesbrasil.org.br). A efetivação da inscrição somente será validada após o pagamento da taxa de inscrição, sendo o participante comunicado do aceite de sua inscrição através de e-mail recebido em endereço disponibilizado em cadastro.

5.2 A taxa de inscrição para produtores e consultores é de R$ 100,00 (cem reais) por área inscrita no Desafio. Cada participante poderá inscrever até 10 (dez) áreas no Desafio.

5.3 A taxa deverá ser paga na rede bancária nacional, através de boleto emitido pelo CESB ou por uma empresa credenciada pelo CESB para esta finalidade no próprio site. A taxa de inscrição será utilizada para auxiliar o custeio da empresa prestadora de serviços de auditoria externa.

5.4 Considera-se um participante oficialmente inscrito, aquele que preencher o formulário e efetivar o pagamento da taxa de inscrição até a data de vencimento do boleto. Não haverá devolução da taxa de inscrição em caso de desistência.

5.5 O participante poderá se inscrever entre 20 de outubro de 2018 e 20 de janeiro de 2019. O limite de inscrições será de 5.000 áreas.

5.6 Após preenchimento da inscrição, o participante deverá fornecer obrigatoriamente seus registros de práticas de cultivo e de manejo, entre outras informações técnicas necessárias ao CESB, através do Formulário de Produção e Colheita, disponível na área de inscrição do site e ou no aplicativo disponibilizado pelo CESB.

 

  1. Colheita

6.1 O participante deverá fazer uma estimativa prévia de colheita, até uma semana antes da efetivação da mesma, ou seja, ele deverá colher, manualmente, pequenas parcelas para estimar a produtividade antes da colheita final, a fim de atender ao disposto no item 6.2 a seguir.

6.2 Áreas menores que 2,5 ha serão automaticamente desclassificadas. (vide item 4.1 do regulamento).

6.3 Estimativa de colheita

  1. a) se a colheita estimada for de 80 até 89 sacos /ha (5.340 kg/ha), o produtor deverá convidar o seu consultor técnico e mais um engenheiro agrônomo local para acompanhar a colheita e atestar a produtividade obtida.
  2. b) se a colheita esperada for acima de 90 sacos/ha (5.400 kg/ha), o produtor deverá acionar a auditoria oficial do CESB para acompanhar a colheita. Este acionamento deverá ser feito exclusivamente no site do CESB em seu ambiente privado – http://www.cesbrasil.org.br – com antecedência mínima de 4 dias corridos para possibilitar o planejamento da auditagem oficial da colheita.

O custo da auditagem para produtividade acima de 90sc/ha será de responsabilidade do CESB. Nos casos em que a produtividade for menor que 90sc/ha, os custos de auditagem serão de inteira responsabilidade do produtor que acionou a mesma. Por esse motivo salientamos a importância da realização da amostragem e certificação de que a produtividade da área escolhida esteja acima de 90sc/ha.

6.4 Após a colheita, a soja produzida terá os ajustes da correção de umidade e será feito o relatório final pela empresa de auditoria (parceira do CESB) que enviará cópia para o produtor, seu consultor técnico e para o CESB. O Participante terá uma semana após o recebimento do laudo para contestar a auditoria. Após este período não serão aceitas contestações.

6.5 A empresa auditora deverá seguir rigidamente o protocolo de auditagem para validação da produtividade. Caso a auditagem não tenha seguido o protocolo, essa área do Desafio será desclassificada. Seguem itens que são considerados desclassificatórios:

– Ausência do auditor em parte do processo de auditagem, como não acompanhamento do caminhão até sua efetiva pesagem, situações em que é feita a colheita num dia e a pesagem ocorrer no dia seguinte.

– Reaproveitamento da tara do caminhão de dias anteriores. Os caminhões devem ser pesados (obter peso de tara) no dia da auditagem.

– Não esvaziamento de soja nos compartimentos da colhedora.

– Ausência de documentos que certificam a calibragem da balança do caminhão e do medidor de umidade, bem como prazo de validade vencida.

Observação: Sugerimos que a colheita seja feita em horários que a balança para pesagem da soja esteja em funcionamento e permita que o auditor acompanhe todo o processo da auditagem. Em caso de falta de energia no momento da pesagem, o auditor deve permanecer no local até a efetiva pesagem da soja.

6.6 Áreas com produtividade acima de 90 sacas devem estar com a ficha de inscrição (cadastro) completamente preenchida.

 

  1. Como Participar do Desafio Máxima Produtividade

7.1 Preencher completamente o Formulário de Inscrição do Desafio de Máxima Produtividade no site do CESB http://www.cesbrasil.org.br até o final do mês de Janeiro. Em caso de falta de informação em qualquer item, o formulário não será aceito.

7.2 Pagar a taxa de inscrição e aguardar a confirmação da sua participação no Desafio, via comunicação eletrônica no endereçamento eletrônico informado no ato do preenchimento da ficha de inscrição.

 

  1. Reconhecimento

8.1 Os inscritos (produtor e consultor) que alcançarem as maiores produtividades auditadas oficialmente pela prestadora deste serviço designada pelo CESB, e que seguirem as regras deste regulamento serão reconhecidos dentro das categorias irrigada e não irrigada, sendo que nesta última categoria serão reconhecidos os melhores resultados de cada uma das quatro regiões. Estes Produtores e seus Consultores Técnicos serão reconhecidos em cerimônia anual oficial, Fórum Nacional de Máxima Produtividade, com data e local de realização previamente divulgados pelo CESB.

  1. Reconhecimento
  2. O CESB fará o reconhecimento ao produtor e seu consultor técnico com a melhor produtividade de cada Município com 5 (cinco) ou mais inscrições (áreas) auditadas, o qual será considerado campeão municipal. Cada Campeão Municipal (Produtor e Consultor Técnico) irá receber um certificado de reconhecimento e a divulgação do seu resultado através de jornais locais, revistas, informativos de entidades, mí­dia, etc. O mesmo acontecerá com cada Campeão Estadual.

 

  1. Considerações Gerais

10.1 Os casos omissos neste Regulamento ou a revisão de qualquer um de seus itens será atribuição do Comitê Estratégico Soja Brasil. As decisões tomadas pelo Comitê serão definitivas e não haverá recurso.

10.2 A participação no Concurso implica na aceitação automática de todas as disposições no presente Regulamento. Não caberá ao participante contemplado e/ou seu representante legal discutir ou redefinir as condições e premissas do Concurso ou do(s) prêmio(s).

10.3 O CESB não se responsabilizará por eventuais prejuízos que quaisquer participantes venham sofrer em decorrência do Concurso, oriundos de fatos alheios à vontade do CESB. Sendo assim, o CESB não será responsável por inscrições e/ou cadastros não efetivados por problemas na transmissão de dados no servidor do participante, tais como: problemas na transmissão de dados no servidor, problemas de acesso à rede de Internet, intervenção de hackers, vírus, manutenção, queda de energia, falhas de software ou hardware, problemas operacionais com empresas de telefonia que possam, direta ou indiretamente, afetar o acesso à Internet e, consequentemente, a participação no Concurso, ou ainda por falta de energia elétrica.

10.4 Este Regulamento fica disponibilizado no website www.cesbrasil.org.br e a participação neste Concurso caracteriza a aceitação pelo participante de todos os seus termos e condições.

10.5. Os participantes contemplados concordam em ceder gratuitamente, os direitos de uso de imagem, nome e som de voz, sem qualquer ônus para o organizador (CESB) e/ou parceiros oficiais, para uso exclusivo na divulgação deste Concurso, por meio de cartazes, filmes e/ou spots, jingles e/ou vinhetas publicitárias, bem como em qualquer tipo de mídia e/ou peças promocionais, inclusive em televisão, rádio, jornal, cartazes, faixas, outdoors, mala-direta e na Internet, por tempo indeterminado, contados da data de apuração dos resultados.

10.6 O simples ato de inscrição para participação neste Concurso na forma indicada neste Regulamento pressupõe total conhecimento e concordância com as suas disposições por parte do participante e configura a autorização para o recebimento de informações e comunicações a respeito deste Concurso.

10.7 O participante contemplado concorda que deverá se abster de utilizar as marcas do organizador (CESB) e/ou de seus parceiros oficiais sem a prévia e expressa autorização desta.

10.8 Os participantes autorizam, no ato do cadastro no Concurso, a coleta, armazenamento, tratamento, utilização e compartilhamento, por parte do organizador (CESB) e/ou parceiros oficiais, de seus endereços físicos, eletrônicos, telefones e demais dados informados, inclusive materiais produzidos, com o propósito de formação e atualização de cadastro, reforço de mídia publicitária, operacionalização e divulgação do próprio Concurso e entrega do prêmio.

10.9 Fica permanentemente proibido qualquer tipo de comunicação e divulgação prévia, não aferida e não autorizada oficialmente pelo CESB dos resultados do Concurso em questão.

 

 

©2018 | CESB – Comitê Estratégico Soja Brasil


< voltar