Comitê Estratégico Soja Brasil alerta sobre ferrugem asiática

6/01/2017 12:02

Condições do clima favoreceram desenvolvimento na doença em algumas regiões

São Paulo/SP

O Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), alerta produtores de diversas regiões do país para os riscos do surgimento da ferrugem asiática devido às variações no clima. “Na safra 2016/2017, a janela de plantio, se estendeu devido às más distribuições de chuva. Plantios iniciados em setembro foram interrompidos pelos curtos períodos de estiagem, tendo sido reiniciados somente após o retorno das chuvas.. Em algumas áreas, as chuvas se intensificaram e as temperaturas ficaram mais amenas, o que criou condições favoráveis ao desenvolvimento da doença”, explica Sergio Abud da Silva, biólogo da Embrapa e membro do Cesb.

A ferrugem asiática é uma das doenças de maior importância da sojicultura na atualidade. Causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizie, ela possui grande potencial de danos nas folhas e consequentes perdas na produtividade. A recomendação do Cesb é para que os produtores realizem o monitoramento da presença da ferrugem asiática na região, e façam o controle preventivo da doença com o uso de fungicidas aplicados com alta tecnologia para uma boa proteção das plantas. “Um dos principais fatores para a obtenção de elevados rendimentos em lavouras de soja é a manutenção de folhas sadias até o estádio R6”, explica Abud.

Na safra atual o Consórcio Antiferrugem já relatou ocorrência da doença nos Estado do MT, MS, SP, SC e RS. Entretanto, numa única propriedade, podem existir lavouras em diferentes estádios de desenvolvimento da soja, graças às variações do clima. Para o Cesb essa variação no campo requer atenção redobrada. “A presença de soja “guaxa”, de lavouras em diferentes estádios de desenvolvimento da cultura na mesma área, além da elevada umidade e temperatura amena são fatores altamente propícios à ocorrência da doença”, finaliza o biólogo.

Sobre o Cesb
O Cesb é uma entidade sem fins lucrativos, formada por profissionais e pesquisadores de diversas áreas, que se uniram para trabalhar estrategicamente e utilizar os conhecimentos adquiridos nas suas respectivas carreiras e vivências, em prol da sojicultura brasileira. O Cesb é qualificado como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), nos termos da Lei n° 9.790, de 23 de março de 1999, conforme decisão proferida pelo Ministério da Justiça, publicada no Diário Oficial da União de 04 de dezembro de 2009. Atualmente, o CESB é composto por 19 Membros e 16 entidades patrocinadoras: Syngenta, Basf, Bayer, Jacto, Mosaic, TMG, Stoller, Monsanto, Sementes Adriana, Agrichem, UPL do Brasil, Aprosoja MT, Produquímica, Instituto Phytus, DuPont,  Timac Agro e PlantDefender.

Fonte: Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb)